3.11.07

Tarot: O Louco.

Aposto que um monte de pontos de interrogação apareceram ao ler esse título, e a mesma questão brotou-lhes a mente: TAROT?? Tira a droga do moleque que deve ter surtado de vez!

Mas lhes digo que não sou viciado em nenhuma droga ilegal, e SIM!! TAROT!! Porque? Pois apesar de todo esse papinho místico, uma coisa não podemos nos esquecer, nossa vida é feita de símbolos, signos e sinais (prepararei um post sobre essas questões e a semiótica, mas isso é assunto para outro dia), e se existe algo que trabalha totalmente com simbologia, e arquétipos (também prometo explorar isso outro dia, mas seria algo como um modelo das coisas existentes), é o tarot, e se existem duas cartas de Tarot que eu particularmente adoro é O Louco e A Morte.

Obviamente, por conta do nome dado ao blog e da proposta apresentada, eu gostaria de falar sobre O Louco:


Esse Louco, é do baralho conhecido como "O Tarot de Marseille", um dos mais tradicionais, e de origem francesa (Marseille é uma cidade da França para quem não sabe).

Para quem não conhece a estrutura do tarot, é formado por dois arcanos, os maiores e os menores, os menores são os nossos baralhos normais com naipes, os maiores são as 22, e apresentam figuras simbólicas.

O louco é considerado uma das cartas mais singulares dos arcanos maiores, pois ele pode ser tanto a carta 0, quanto a carta 22, e apresenta a figura de um homem andando de forma distraída, com um pequeno cão ao seu lado, segurando um cajado, levando suas trouxas para algum tipo de viagem. O louco como o número 0, ou 22 pode ser a pessoa no início ou no fim da viagem, está indo ou voltando por caminhos tortuosos, é a pessoa que sai em busca do conhecimento, ou o que já recebeu o conhecimento, como em um ciclo eterno, o cajado tem sempre uma simbologia de poder, e o cão representa o instinto.

O louco sempre é visto como um idiota, exatamente por sua decisão de sair do mundo, mas por isso mesmo ele o enxerga melhor que os outros, e carrega em si uma dualidade, ele pode ser a inocência do que começa sua busca, ou pode ser o desapego daquele que muito conhece, e só sabe que nada sabe.

Bom, foi uma análise bem simplesinha, pessoal fica analisando até o botão que a figura tá usando em um cata-pulga danado, mas esse é o básico, é a figura que sempre nos lembrará o conhecimento e a busca que devemos fazer deixando muita coisa para trás e pegando a estrada.

Espero que não tenha ficado Zen demais esse post, mas acho que foi um bom primeiro ato.

Fortuna!

Um comentário:

Marcelo Cesario disse...

Também de certa forma, me identifico com o louco, vivo pelo mundo em busca de novas aventuras... flw