17.12.07

Blog do Cardoso, relíquias, santos e paganismo cristão.

Argh! o fim do ano está chegando e está batendo a "Dezembrite" como diria Marcelo Tas, to com várias coisinhas atrasadas, mas deixando os lamentos pra lá, no sábado (15/12/2007) foi colocado um post no Blog do Cardoso que achei simplesmente sensacional intitulado "Maldade: Sumiram com o pinto de Cristo", um texto bem humorado sobre uma das relíquias mais preciosas da igreja católica, o prepúcio do próprio messias que foi alvo de fervorosa adoração por parte dos cristãos.


As relíquias, já foram febre na cristandade, principalmente após a invasão de Constantinopla, tinha gente vendendo de tudo em um enorme mercado negro, tinha água que jesus bebeu, pó do qual foi criado Adão. Lembro de um professor de História Medieval me contando que em uma igreja na Alemanha havia relicários com vários fetos em várias fases de crescimento, e todos eram um santo do qual não me lembro o nome, lascas da cruz a um tempo atrás apareceu vendendo até no mercadolivre, aliás no mercadolivre tem até pedaço de OVNI (que depois o vendedor descobriu ser a carenagem de uma moto). Tudo isso pode parecer meio louco para nós, mas para o homem medieval é algo normal, pois o sobrenatural é algo vivo e está presente diariamente em sua vida, é uma base de pensamento bem diferente da nossa. Essa adoração fervorosa fez a "Santa Madre" agir contra, e ela realmente começou a cortar as festividades e as peregrinações aos "sacros" objetos, proibindo inclusive sua venda, e hoje se vê pouco isso.

Agora se nos perguntarmos sobre a relação da adoração a essas relíquias e a adoração aos santos, veremos um paralelo em comum que é o chamado paganismo. Para quem não sabe (até no Código Da Vinci fala isso) a palavra paganismo se refere aquela pessoa que vive além do pagus, que era uma demarcação para a área do campo, o pagão é o "roceiro", no sentido perjorativo da palavra, pois essas pessoas da fazenda estavam longe dos centros disseminadores da idéia cristã, e por viverem da terra não abandonavam seus hábitos de adoração e festas a antigos deuses e entidades que serviam inclusive como demarcação para o momento de plantio, colheita, etc.

Duas bases de pensamento sobre como cristianizar esses grupos nasceu, e essas bases vivem até hoje, a primeira é a do enfrentamento, o destruir a outra religião pelo ataque direto, o segundo é pela assimilação de seus ídolos, símbolos e festas, é claro que históricamente vamos sempre ver o segundo sistema prevalecer ante o primeiro, e essas festas foram sendo cristianizadas, a forma mais fácil de se fazer isso era pegar um exemplo de cristandade, transforma-la em um santo e dedicar uma festa a ele, normalmente o santo era padroeiro de algum tipo de atividade ligada a ação do deus que ele substitui e assim você cristianiza os pagãos, só que também paganiza os cristãos. Os santos também servem a muito tempo como estabelecimento político, e isso pôde ser visto no Brasil recentemente com a vinda do papa por essas bandas, Brasil não tinha santo e é o maior país católico do mundo? Dê a eles um santo!

Por essas e outras vejo pessoalzinho wicca achando que são os verdadeiros pagãos, quando o verdadeiro paganismo vive e é dentro da própria cristandade, e não tem como tirar corpo fora de religiões cristãs que rejeitam os santos, pois nelas também vivem a superstição, e cada vez mais as vejo direcionando para a adoração na área das relíquias, e aqui fecha-se o ciclo.

Se alguém quiser ler alguns livros bons que contenham um pouco desses temas recomendo os livros: "O diabo no Imaginário Cristão", "O Nascimento da Bruxaria", e "Bruxaria e História", os três do professor de História Medieval da USP Carlos Roberto Figueiredo Nogueira, também recomendo: "Uma História do Diabo: séculos XII- XX" do Historiador Francês Robert Muchembled, e o maravilhoso "História da Morte no Ocidente", de Phillipe Ariés.

PS: primeira imagem: Crucifixo feito por Michelangelo, a terceira é são Pedro feito po Rubens.

Fortuna!

3 comentários:

W. Fernandes disse...

Pô Guilherme, gostei do blog cara.
Peguei o link pelo do André, o Diniz.
O massa que tava lendo não sei, sobre essas indulgencias, que se juntassem todas as lasca da cruz de Cristo, construia-se um navio... rs
pois é, não adianta nada informação sem connhecimento mesmo...
abraço e passa lá em casa pra tomar uma! rs

Esther disse...

wooe to presisando de uma ajuda aÊ minha profº de história é doida cara ela me pediu p/ eu descubri a data de nascimento de Carlos Roberto Figueiredo Nogueira Oo" to na net a 2 dias mas eu ñ acho NADA. dá uma ajuda aê ><"



e-mail: is.there.youkai@gmail.com

Anônimo disse...

Eu sou professor de História Medieval em Portugal e aconselho uma pesquisa mais aprofundada através de uma bibliografia credível. O tema é interessante mas o erro pela não distinção entre adoração e veneração, estragou completamente a mensagem. Aprofunde os conceitos para não confundir os termos.