15.4.10

Do pó ao pó, ou...

...golens, homúnculos e robôs na magia tecnocrata.

We stole them from their freedom to be sold
To turn their skins of black into the skins
Of brightest gold
An alchemy, human alchemy


Vários são os mitos para a criação do homem e em muito deles o ser humano foi criado ou esculpido e os deuses lhe inflaram a alma, assim fez Odin e com Ask e Embla na mitologia nórdica, com Prometeu, Atena e Zeus na mitologia Grega, com o Deus moldador judaico/cristão, e com Tupã em mitologias ameríndias.

Outra constante no mundo são as práticas que visam controlar a natureza, práticas como alta magia, alquimia, cabala, entre outras formas de buscar entender a natureza e a comandar a seu bel prazer, um mago é antes de mais nada senhor dos elementos. Aí entra outras questão que podem parecer bestas, mas qual a diferência entre magia e ciência? O que separa uma da outra? Qual a motivação de ambas?

Não vou responder essas perguntas aqui, até porque elas são alvos de pilhas e mais pilhas de pesquisa, mas consigo dizer com clareza que a base e muito da ciência veio das práticas mágicas, e isso não é papo de maluco religioso nível épico, após renascimento grupos iniciáticos e cientistas se confundiam em suas bases e andavam de certa forma juntos, lembremos da alquimia, da astrologia, da alta magia, elas foram o alicerse da química, da astronomia, da física, isso podemos perceber claramente ao estudarmos vida de cientistas como "Galileu Galilei", as idéias não vem do nada, elas ja existem em fragmentos e mesmo que a idéia seja negada ela foi base para um entendimento ou para a criação de um ponto de vista.

E onde difere as escolas iniciáticas da ciência? A diferença é de certa forma (e aqui piso em ovos por não ser especialista) é ligada à epistemologia (que de um modo grosso é a forma que a ciência se estrutura em um campo do saber para gerar o conhecimento), e ao método, a forma de trabalhar sistemáticamente o objeto de estudo do campo. Nessa discussão podemos ir longe, o motivo desse post estranho é pensar o quão a ciência ainda se parece (e tomando as devidas proporções ainda é) magia e aqui me lembro do RPG mago, a ascenção que falava dos tecnocratas, e sua magia tecnológica, O que é uma televisão? O que é um computador? O que é a internet? Aposto que grande parte das pessoas não sabe como metade disso funciona, aliás a eletricidade que os alimenta ja se parece um grande feito mágico.

Mas aí pode-se falar que a explicação para tudo isso está na própria internet, e com uma pequena procurada a pessoa pode encontrar as devidas explicações de funcionamento, porém vem a outra questão que me lembra muito das escolas iniciáticas ocultistas, só consegue entender algo o iniciado nas idéias, aquele que consegue ler e transcrever os termos, ultrapassar a barreira da epistemologia daquela ciência, e também só é dado validade na produção científica a quem dominar os códices e o provar perante os pares.

Com tudo isso me lembrei de uma figura clássica do judaísmo, o chamado Golem, um eco da criação divina imitada pelo homem através da cabala, a lenda mais famosa é do Golem criado no século XVII em Praga para defender os judeus de ataques contra eles, Outra história famosa que me lembrei foi o do Homúnculo, um dos feitos da alquimia, assim como o elixir da vida eterna e o poder de transmutar qualquer ecória em ouro, e penso nos robôs e a busca de uma inteligência artificial através de de nossa atual tecnologia, observando esses três talvez consigamos perceber que os metódos e as formas de pensar podem mudar, mas no fim a mentalidade de ambas continuam na busca do poder sobre a natureza e a criação.

4 comentários:

*margaridanegra* disse...

Interessante pensar nisso, talvez a "magia" seja somente uma forma mais arcaica da ciência. Era o que se conseguia ter sem tantos recursos...
Mas como vc mesmo disse, os métodos de pensar mudam,mas a intenção é sempre a mesma...ô bichinho mais previsível esse tal de bicho homem....

Whiskey Jack disse...

Não me lembro direito da frase, ou quem a disse, mas é algo assim : "uma tecnologia só é inovadora quando a primeira vista ela parece magia".
Se conseguissemos trazer um homem da decada de 50 para os novos dias.
Ele correria o risco de surtar ou ficar maravilhado com as nossas bobeiras do dia a dia.
Celulares são um ótimo exemplo.

Grande Texto. Bom. Faz o cérebro trabalhar.

Pistache disse...

Sempre digo que a ciência e a religião partem do mesmo ponto: a vontade do ser humano de explicar o desconhecido, a diferença é que cada uma busca um tipo de explicação diferente.
Agora quanto a "magia" depende da forma como pode ser interpretada, se ela pode gerar curiosidade ou se simplesmente é ignorância disfarçada.
Gostei do seu texto, bacana ver um ponto de vista diferente.

Joâo Gonçalves disse...

J.Gonçalves gostaria de convidar você a fazer parte do meu fotolog.
Minhas pinturas, Universo das cores.
Para ver acesse o link:
http://pintorgoncalves.blogspot.com/